Make your own free website on Tripod.com

TEPO - Teatro de Pombal de Ansiães

A Empresa | Actividades | Animação | Babysitting | Contactos | Agradecimentos

Tudo começaria nos anos vinte quando a juventude da aldeia criava o "Clube Ancianista" e iniciava a representação teatral sob a batuta disciplinadora do oficial do exército António Areias. De lá para cá as instituições sucederam-se, mas o fio do teatro manteve-se e renovou-se. Como o ciclo da vinha, coisa em que terra também é fértil. Tal como outros ajuntamentos vulgares, o teatro fazia-se ao ar livre ou em quinteiros e ocupava a quase totalidade da população. No "palco" ou na "plateia" ninguém ficava indiferente. Hoje diz-se na aldeia que mais de noventa por cento da população já pisou o palco, o que por si só faria toda uma estatística da diferença.Eito Fora,  edição n.º 15

HISTORIAL DO GRUPO DE TEATRO

Já por volta do ano de 1927 a juventude de então criava o «Clube Ancianista», vocacionado para a música e representações teatrais.
   Este clube era liderado por Francisco Carvalho Teixeira (Presidente) e constituído pelos restantes elementos: Jaime Martins, António Lopes, Afonso Henriques Pereira, António Baltazar de Lima, António Lino, João Calvário, António Morais, Miguel Calvário, Manuel Armando, Luís Correia, Guilhermino Almeida e Alberto Coelho.

A 1.ª peça de teatro da responsabilidade deste Clube, foi o drama «Agostinho de Ceuta», tendo sido encenador o Oficial do Exército, Sr. António Areias.

   Não temos mais dados concretos que nos permitam avaliar por inteiro a acção daquela Colectividade, nem o seu tempo de duração, sendo certo, porém, que ele existiu e realizou espectáculos teatrais e de música, como nos é testemunhado por familiares dos fundadores, dos quais existe uma fotografia em grupo exposta na sala de convívio da ARCPA.

   Depois em 1951/52, foi criado o centro de Instrução e Recreio Popular de Pombal de Ansiães( C. I. R. P. P. A) vocacionado também para o teatro.
   Este grupo era liderado por Mário Lima, Maximiano Augusto Moura e Albino Pinto e contava com a colaboração do então Padre João Almeida.

A A.R.C.P.A é uma Associação que desenvolve várias actividades recreativas e culturais em Pombal de Ansiães ao longo do ano, sendo a mais reconhecida o FARPA – Festival de Artes do Pombal no início de Agosto.

 

Entre Junho de 2007 e Dezembro de 2008 a InterActividade apoiou a produção das peças do TEPO: 

 
 
  • Duelo entre as forças da natureza - Adaptação de texto de tradição oral
  • Não há ladrão que venha por bem - Dario Fo
  • História de uma boneca abandonada - Alfonso Sastre
  • A princesa e o Sal - Adaptação do conto de Teófilo Braga  
 

grupodeteatrodepombal.jpg

teposite1.jpg

aprincesaeosalcartaz.jpg

saiba mais sobre o ARCPA (http://www.bragancanet.pt/arcpa/)